sexta-feira, 2 de outubro de 2009

E No Shopping...

Eu cresci ouvindo "Passeio no shopping é coisa de paulista". O que não deixa de ser verdade. Numa cidade sem praia, passear num lugar onde se gasta em compras, comida e diversão, pode, ou, deve ser uma grande opção de divertimento.
Divertimento? ÔÔÔÔ!!!!!!!!
Vamos aos fatos.
Se a cidade de São Paulo é a cidade dos shoppings isso quer dizer que tem muitos. Tem muitos porque todos eles estão sempre cheios, que muitos paulistanos correm para lá quando tem uma folguinha ou no desespero. Leia-se desespero como: meia-calça preta pro casamento? vai no shopping que tem.
E você será muito bem-vindo a este paraíso... isso se você conseguir entrar nele.
Uma vaga no estacionamento é disputada a tapa, ou buzinadas... Eu até acho que tenho sorte com vagas, mas já rodei bons 30 minutos esperando alguém se cansar das compras.
E depois para andar dentro do caixote? (já reparou que por fora todo shopping é um caixote?)
Não tem como não esbarrar em alguém, tem sempre um querendo andar depressa que te empurra e outro que anda tão devagar olhando as lojas, ou chupando aquela casquinha sem gosto que você tem que empurrar.
E tenha certeza: é sempre você que desvia do encontrão. Os outros passam por cima.
Mas a hora da comida é a melhor. A tal da praça de alimentação tem de tudo. Da cozinha japonesa ao gostinho da fazenda. E tudo muito caro. Sandubinha, salgadinho, refri... uma fortuna. Mas se tiver a fim de gastar, né? É só pegar a bandeja e sentar... se encontrar lugar. O pessoal num entende às vezes que Praça de Alimentação não é Praça de Conversação. O casal come em cinco minutos e fica 90 discutindo a relação!
Legal mesmo é cinema. Salas maravilhosas, stadium, som digital... adoro ver estréias... só odeio chegar atrasado e ter ficar na primeira fila. Com aquela tela gigante a um palmo do nariz. Já vi gente deixar o filme no meio pra ir vomitar. Tadinha.
Só que nada me irrita mais do que uma escada rolante.
Vê se num é verdade.
As pessoas decidem para onde vão quando acaba a escada rolante.
Ela para de rolar e a tiazinha pensa: Acho que quero fazer xixi, onde é o banheiro?
Enquanto ela fica olhando para cima procurando aquela plaquinha rola a dança do maxixe atrás dela.
Acho tão legal quando ela estraga quando tô na metade dela.
E corrimão melado de sorvete daquela casquinha sem gosto... isso quando é sorvete.
Bom, vou parar por aqui, já tô pegando no pé... e o pessoal da redação tá me chamando pro almoço. Adivinha onde?????
Falo mal mas também não vivo sem... :)

4 comentários:

Sandra disse...

O que me irrita no shopping, é aquela família gigantesca, pai, mãe, mais sete anões, uns chorando, outros correndo, a mãe gritando e vc querendo passar. Vc vai pra direita, eles vão, vai pra esquerda e lá vão eles. Meu Deus, eu quero morrer. Vc entra na loja, pede un tenis...o cara traz 50 pares, menos o que vc pediu....tá em falta. Agora, na hora de comer, eu pego o meu e saio andando, pq nada me irrita mais do que sentir fome e ter que esperar uma mesa. Em resumo: shopping me deixa irritadíssima, principalmente se for prá comprar aquela camisa horrosa que o Alê conhece bem. Argh! kkkkkk. bjs lindinho

Jéssica Nayara disse...

Odeio praça de alimentação. Que ódio daquele povo todo conversando e eu com uma bandeja na mão.
Tá sumido... Não faz mais o “ Bem Amigos”?!?
Beijos... =)

Mariana disse...

Auhauahuaha!! Realmente, eu sou tua inspiração. Olha, a tiazinha que espera chegar no topo da escada rolante pra pensar pra onde vai merece um peteleco. Esse negócio de ninguém desviar da esbarrada é o fim da picada. Só eu desvio, acho q se um dia eu parar de desviar das pessoas vou, sem querer, mandar um pro hospital com alguma fratura exposta ou um traumatismo craniano. Pq as pessoas não desviam de mim!?!?!?!?!?! Mas não tem nada pior do que sentar na primeira fileira do cinema. Ataca a labirintite até de quem não tem. O melhor lugar do shopping é a livraria. Todo mundo fala baixinho, ninguém te esbarra, não tem famílias gigantes com mil crianças correndo e a mãe gritando.Tu pode escolher teu livro calmamente e ainda sentar para lê-lo enquanto toma um café. E o melhor, no café da livraria ninguém fica em pé esmolando uma mesa. Mas enfim, no final todo mundo volta satisfeito pra casa.Desde que não esqueça em qual andar estacionou o carro =D

Sandra disse...

Obrigada Mari.
Eu achava que era a única louca, que perdia o carro no shopping. A vantagem, é que aqui, tem uns carinhas de moto, que vão procurar. Mas aí, a gente paga mico......rsrs