domingo, 23 de novembro de 2008

Salve-me Cazuza

eu não tenho a sorte de uma amor tranquilo
por mais que abra a porta e mande flores
me sobram dores, feridas, cicatrizes
que embalo da rede? que batida?
sempre me afogo com a minha própria saliva

todo o amor que houver nessa vida
e algum remédio que me dê alegria
ainda sou pão, ainda sou comida
mas até quando?
até quando houver amor nessa vida

7 comentários:

July Stanzioni disse...

tu tem que ir ver o filme ROMANCE, do Guel Arraes!

dentre os diálogos dos protagonistas, várias terminações sobre o que é amar na modernidade...

uma delas é mais ou menos assim: queremos amar e sabemos que iremos sofrer, então nosso amor ideal é a dor...

meio maluco, mas no fim... é assim mesmo!!

alguém disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
alguém disse...

Como uma boa romântica pessimista, “à la Lord Byron”eu diria, eu não acredito num amor tranqüilo... O amor é lindo, é intenso, a sensação é como se estivéssemos sob efeito da melhor droga o tempo todo. Dá vontade de sair pelas ruas abraçando todas as pessoas que cruzam nosso caminho... as flores parecem ser mais coloridas e a brisa mais fresca, o sorriso sem dentes da criança ou do velinho parece mais terno do que nunca, depois de receber aquela ligação então, nem se fala... mas, como tudo nessa vida, uma hora esse amor acaba e coitado daquele que ficou amando... Ei! Não pense que eu acho q não vale a pena amar. Só acho que nem nas belas letras o amor é tranqüilo. No romantismo por exemlo, os românticos mais românticos sempre se davam mal no final... Pobre da Mariana de Camilo Castelo Branco, ou de Iracema de José do Alencar, ou então os amores impossíveis como Romeu e Julieta ou indo mais longe, lá na idade média, Tristão e Isouda. No realismo não se morria de amor, mas Luísa de Eça morreu de culpa depois de trair seu marido... Amor tranqüilo?! Aposto que até o Cazuza ficou querendo...

Anônimo disse...

teste

Sandice disse...

Tõ aprendendendo o que é dor de amor agora,vendo uma pessoa que amo muito, sofrer por amor. casei com meu primeiro amor, então ñ sei como consolar uma pessoa que sente a dor do amor e isso, dói muito em mim. Socorro!!!!!!!!
bjs Alê

Sandice disse...

alguém me disse que amor ñ se escolhe, ele acontece.Concordo plenamente. E o contrário? uni duni tê, eu ñ quero amar você....uni, duni te, eu não quero sofrer por você....Será que a tal dor iria embora? Outro alguém me disse que mulher sofre por amor, porque ñ ama, só cisma com a pessoa....mas foi um homem. Ele merece crédito?

sandraejo2212 disse...

OI ALÊ, ME CHAMAM DE NEGA,E QUERO DIZER QUE TE ACHO UM CARA ROMÂNTICO.ISSO NÃO É UMA CANTADA, SOU MUITO BEM CASADA,PUDE SENTIR QUE VC ESTÁ A ESPERA DE UM GRANDE AMOR,OLHE EM SUA VOLTA , MUITAS VEZES O AMOR ESTÁ EM BAIXO DO NOSSO NARIZ.ESPERO QUE VC SEJA MUITO FELIZ,SOU SUA FÃ.BJS NEGA